terça-feira, dezembro 20, 2011

Servos pecadores

"Então gritei: Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de lábios impuros; e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: 'Quem enviarei? Quem irá por nós?' E eu respondi: Eis-me aqui. Envia-me!" - Is 6:5,8



Aqui, vemos o chamado de Isaías para ser profeta em uma nação de Israel completamente pervertida e com valores invertidos.


Isaías reconhece a si mesmo como pecador, e sabe claramente como está a situação de sua pátria. Ele sabe que ter visto a Deus nesse contexto e ter permanecido vivo era um milagre. Afinal, o próprio sumo sacerdote, se entrasse no Santo dos Santos para fazer um sacrifício sem estar puro (sem ter passado pelo processo de purificação), seria morto instantaneamente.


Hoje em dia, por podermos nos achegar diretamente a Deus, por causa do sacrifício de Jesus que nos purificou a todos, nos esquecemos do nível de santidade que Deus exige para que se entre em contato com Ele.


Esse milagre que Isaías experimentou sozinho, é o milagre que experimentamos todos os dias em nossas orações, por causa da graça.


Prosseguindo no texto, no versículo 8, Isaías ouve a voz de Deus clamando: "Quem eu vou enviar par alertar o meu povo? Quem me ouvirá?" Ele ouve esse chamado e, a despeito de sua fraqueza como pecador, aceita o desafio.


Apesar de tudo que o povo de Israel vinha fazendo - injustiças sociais, adoração a ídolos, perversão sexual - Deus não os abandonava, Ele queria um profeta que alertasse o povo sobre as consequências de continuarem no caminho que estavam traçando.


Duas coisas posso aprender desse versículo. A primeira é que Deus está sempre à procura de humanidade, Ele não desiste de nenhum de nós, mesmo que nós nos afastemos cada vez mais dEle. Ele enviou Jesus como a solução final para se reconciliar com a humanidade - basta a nós que aceitemos o convite da graça. Mas a contagem regressiva até que a Terra seja restaurada e, consequentemente, o pecado (juntamente com aqueles pecadores que preferiram não receber o convite) seja extinguido dela, já está acontecendo.


A segunda coisa que aprendo é que Deus não nega serviço aos que se dispõem a ele, mesmo que sejam pecadores (e somos todos, afinal).


Isaías aceitou o chamado de Deus como se apenas ele pudesse fazê-lo e essa deve ser nossa atitude. Os propósitos de Deus serão cumpridos com ou sem a nossa ajuda, mas pela graça nós podemos participar dessa obra. Não devemos deixá-la de lado como se outro pudesse fazê-lo, afinal, isso pode mesmo acontecer, mas isso seria ignorar a graça de Deus que nos permite servi-lo, mesmo sendo pecadores.


Deus nos deu a graça de sermos justificados em Cristo e, por isso, podermos entrar em Sua presença e ainda nos permite ajudá-lo em Sua obra na Terra. A graça só é gratuita porque o próprio doador pagou o preço, como diz sabiamente o escritor Philip Yancey, e nós não devemos nos esquecer jamais disso.

Um comentário:

ana disse...

Como sempre digo, o Senhor sabe das nossas dificuldades, limitações e falta de capacidade, o que Ele espera de nós é um coração disponível, que quando assim estivermos seremos naturalmente usados por Ele. Se nos fecharmos a obra continuará em outra vida aberta ao Seu agir...
Ótimo post.
Deus abençõe

Veja mais em

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...