sábado, setembro 27, 2008

A lei seca e os cristãos


Os evangélicos sempre adoraram ser conhecidos por não beber, não fumar, não fazer sexo antes do casamento, e não fazer várias outras coisas.

Com a "Lei Seca", os motoristas não ousam mais ingerir bebidas alcóolicas. Constatei isso essa semana, quando saí com uns amigos da faculdade, e eu e o restante dos motoristas dividimos um refrigerante.

Se fosse há algum tempo, e eu recusasse a bebida, eu seria taxada como pertencente ao meu grupo religioso. Naquele dia fui reconhecida apenas como a motorista de um dos carros.

Será que os cristãos não estão sendo reconhecidos pelas coisas erradas?
A santidade que procuramos viver só é vista pelas coisas que não fazemos?
Cada atitude que tomamos contra o pecado é importante, mas sinto que falta a nós uma postura mais firme em relação à santidade.

Precisamos ser reconhecidos mais por aquilo que fazemos para Jesus, por nossas loucuras por Ele, por nosso amor - o amor é a marca do verdadeiro cristão - por aquilo que fazemos que torna o nosso mundo um lugar melhor, do que pelo que não fazemos e que nos torna aparentemente melhor.

O importante é mostrar Jesus em nós, e não nos orgulharmos de não fazermos isso ou aquilo. Somos pecadores miseráveis como qualquer outra pessoa na face da terra. A diferença é que conhecemos e aceitamos a graça de Cristo, e por isso devemos oferecer essas boas novas a todos. Vamos procurar a santidade enquanto estilo de vida, e não como meio de inflar nossos egos.

Fiquem com Jesus=D

3 comentários:

holy-freak disse...

Concordo com você amiga, acho muitas vezes nos acostumamos com a comodidade do não fazer,é comodo ficar nessa situaçao porque ela não exige muito esforço nosso, até mesmo não-cristãos, conseguem viver dessa forma!.

Nossa dificuldade esta no Fazer¹ É o viver como Cristo vivia e agir como Ele agia que é complicado. Suprir as necessidades daqueles que nada tem, e nao digo apenas material, mas tambem espiritual, por exemplo..é muito mais dificil do que jogar a moeda pra um cara na rua como esmola, suprir as necessidades de alguem, amar o proximo como a nós mesmos, éxige um esforço e dedicação que não estamos dispostos a pagar.
Engraçado como as coisa mudaram ao longo do tempo, nos primordios da igreja, os cristaos(ou melhor, os seguidores do Caminho) eram conhecidos exatamente pelo que faziam, pelo alvoroço que causavam com suas ações e palavras,por sua vida intensa de ações, como bem foi dito por Tiago, a fé sem obras é morta, se ficassem de contentes de serem conhecidos pelo que nao faziam, talvez hoje não tivessemos uma biblia em nossas maos!

Gostei do texto, mesmo sendo sobre a lei seca =P

Bjo amiga

Dani Nogueira disse...

Como já havia te falado amigo, a Lei Seca foi apenas um pretexto pra falar do que eu refleti.

Infelizmente não é só nisso que os valores da Igreja atual se inverteram. Enquanto deveríamos buscar servir mais a Cristo, buscamos as riquezas materiais. Em vez de em tudo dar graças, duvidamos da existência de Deus ao menor sinal de sofrimento, e por aí vai.

Realmente, viver um cristianismo de prática é muito mais difícil do que viver um cristianismo de restrições.

Matheus Totte disse...

Nossa!
Parabéns, Dani! Arrasou!
Texto maravilhoso pra começar bem o dia... rsrs
Deus te abençoe!
=)

Veja mais em

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...